domingo, 16 de setembro de 2012

HOMENAGEM - PROFESSOR DE EBD


QUEM É O PROFESSOR(A) DA ESCOLA DOMINICA
(Homenagem aos professores da nossa Escola Dominical)..........................................................................................Ana Maria Prado

(Classe ...) A diretoria da Escola Dominical tem grande responsabilidade, diz a palavra de Deus: “ não havendo sábia direção, o povo cai” (Pv.11.14 e Ec.10.16).

(Classe ...)
 O professor(a) da Escola Dominical possui muitas qualidades, entre as quais: ser aplicado na palavra de Deus, nas suas histórias, suas doutrinas e assuntos necessários ao bom desempenho de sua missão.
TODOS - O aluno é o elemento mais importante da Escola Dominical. A escola existe por causa dele.

(Classe ...)
 A posição espiritual do professor(a), é de honra e responsabilidade, pois ele ensina por amor a Deus, por gratidão a Deus e porque Deus ordenou (Mt. 28.19-21).

(Classe ...)
 O professor(a), tem propósitos no ensino: ganhar almas para Jesus, desenvolver a espiritualidade dos alunos e treinar os alunos para a vida e para o serviço do Mestre.

(Classe ...)
 O professor(a), deve ter preparo espiritual (l Pedro 3.15), intelectual, social, físico, ser disciplinado, paciente, dedicado, comprometido e pontual.

(Classe ...)
 O material usado pelo professor(a), envolve a Bíblia, a revista da Escola Dominical, o esboço da lição, as fontes de consulta, a arrumação da sala, as boas vindas aos alunos e visitantes, os cumprimentos aos aniversariantes e a oração constante.

(Classe ...)
 O professor(a) tem seus métodos de ensino, podendo ser a preleção (Mt. 5.1), perguntas e respostas, o método de discussão, da leitura, das tarefas, o demonstrativo e o audiovisual.

(Todo o Departamento Infantil)
 O professor(a) pode usar como acessórios de ensino: quadro, gravuras, flanelógrafo, projetor, transparência, slides, mapas bíblicos, livros de trabalho, manuais, lápis de cores e cartolina.

(Classe ...)
 O professor(a) precisa ser crente fiel, vestir a camisa de discipulador de Cristo, assíduo, preparar-se com antecedência para as aulas, e entender a Escola Dominical como prioritária e fundamental na construção do reino de Deus.

(Superintendência)
 Afinal a Escola Dominical, está trabalhando no sentido de levar seus alunos à estatura e semelhança de Cristo (Ef. 4. 11-16) e para isto os professores são guia e modelo. O que ensina, esmere-se em fazê-lo (Rm 12.7b).

TODOS
 - “Queridos professores da Escola Dominical da Igreja .............. de ...., nós agradecemos a Deus por suas vidas e somos gratos por todo o ensino que nos têm dispensado. Abençoados sejam vocês pelo Senhor, constantemente, por tudo que fazem por nós!”


Programação -Como surgiu a Escola Bíblica Dominical,

O início da Escola Dominical, como a conhecemos hoje, deu-se em 20 de julho de 1780 na cidade de Gloucester. 
Era uma cidade importante da Inglaterra no período pós Revolução Industrial, notável por sua indústria de tecelagem. Atraía muita gente que, deixando a vida no campo, seguia para as cidades buscando melhores condições de vida. Entretanto, na cidade de Gloucester, a imensa riqueza de uma minoria contrastava com a grande pobreza e o analfabetismo da maioria da população.
 O fato de existirem muitas igrejas não impedia o avanço da criminalidade. Robert Raikes, fundador da Escola Dominical, dedicou-se à carreira de jornalista e editor, trabalhando na Imprensa Raikes, de propriedade da família, a qual ele passou a dirigir após a morte de seu pai.

Raikes preocupava-se muito em melhorar as condições das prisões, visando a regeneração dos criminosos que para ali eram conduzidos. Descobriu que o abandono em que viviam as crianças pobres da localidade e as suas atividades, também aos domingos, eram um estímulo à prática do crime. Que perversos os meninos de Gloucester ! Lutavam uns com os outros, eram mentirosos e ladrões, indescritivelmente sujos e despenteados. Depredavam propriedades e infestavam ruas, tornando-as perigosas com as calamidades deles.
 
Robert Raikes, um homem de profundas convicções religiosas, fundou então uma escola que funcionava aos domingos porque as crianças e os jovens trabalhavam 6 dias por semana, durante 12 horas. Usava a Bíblia como livro de estudo, cantava com os alunos e ministrava-lhes, também, noções de boas maneiras, de moral e de civismo.

O plano de Raikes exigia um profundo sentimento de caridade cristã. Conseguiu que algumas senhoras crentes o ajudassem, fazendo visitas aos bairros pobres da cidade, a fim de convencerem os pais a enviarem seus filhos à escola.

De 1780 a 1783, sete Escolas já tinham sido fundadas somente em Gloucester, tendo cada uma 30 alunos em média. Em 3 de novembro de 1783, Robert Raikes, triunfalmente, publicou em seu jornal a transformação ocorrida na vida das crianças.

O historiador John Richard Green afirmou:"As Escolas Dominicais fundadas pelo Sr. Raikes, no final do século XVIII, originaram o estabelecimento da educação pública popular".

O efeito da Escola Dominical foi tão poderoso, que 12 anos após sua fundação, não havia um só criminoso na sala dos réus para julgamento nos tribunais de Gloucester, quando antes a média era de 50 a 100 em cada julgamento !

Em muito pouco tempo, o movimento se espalhou e várias igrejas ao redor do Mundo organizaram suas Escolas Dominicais. Nas E.B.D. mais antigas, segundo se tem notícia, o ensino limitava-se à leitura de passagens bíblicas estudadas simultaneamente por crianças e adultos. Mais à frente, nasceu o desejo de que houvesse um sistema de lições graduadas : seriam adaptadas ao desenvolvimento da mente infantil e viria estabelecer conveniente e necessária promoção de alunos de grau em grau entre os diferentes departamentos da Escola Dominical.

Em resposta a esse apelo, o Comitê das Lições Internacionais, unanimemente, encaminhou o assunto à Convenção em Louisville, realizada em junho de 1908. Foi criado um Subcomitê, que preparou lições dirigidas aos principiantes, ao departamento primário elementar e ao primário superior. Em anexo, enviaram uma lista dos assuntos que corresponderiam aos anos seguintes desses mesmos departamentos. Anunciou-se também a preparação do programa geral de lições para todos os departamentos em que a Associação Internacional dividiu a Escola Dominical :

 Principiantes (4 e 5 anos), 
Primário Elementar (6 a 8 anos), 
Primário Superior (9 a 12 anos), 
Intermediário (13 a 16 anos), 
Superior (17 a 20 anos) e 
Adultos (20 anos em diante).
Referência : Revista Vida Cristã (nº 183)
HISTÓRIA DA ESCOLA DOMINICAL NO BRASIL

Os missionários escoceses Robert e Sara Kalley são considerados os fundadores da Escola Dominical no Brasil. Em 19 de agosto de 1855, na cidade imperial de Petrópolis, no Rio de Janeiro, eles dirigiram a primeira Escola Dominical em terras brasileiras. 
Sua audiência não era grande; apenas cinco crianças assistiram àquela aula. Mas foi suficiente para que seu trabalho florescesse e alcançasse os lugares mais retirados de nosso país. Hoje, no local onde funcionou a primeira Escola Dominical do Brasil, ainda é possível ver o memorial que registra este tão singular momento do ensino da Palavra de Deus em nossa terra.
O primeiro trabalho promovido pela Igreja Presbiteriana em nosso país, em língua portuguesa, foi a Escola Dominical. Isso aconteceu no Rio de Janeiro, no dia 22 de abril de 1862. A escola foi dirigida pelo Rev Ashebell Green Simonton, missionário presbiteriano.
A Escola Dominical é o principal instrumento de evangelização e instrução. Geralmente, ela nasce antes da Igreja, e o seu rol de alunos é, quase sempre, maior do que o rol de membros da Igreja. Sem ela seria muito difícil levar o evangelho até os confins da terra.
O terceiro domingo de setembro foi a data reservada pela Igreja Presbiteriana para a comemoração do Dia da Escola Dominical.


Escola Dominical
..............................(Wally Alves Fernandes)
Há uma Escola bendita
Onde se aprende a verdade,
Traz a mensagem inaudita
Da graça e da liberdade.
Nesta Escola conhecemos
O que fizeram os heróis,
Cujas vidas bem sabemos
São para nós qual faróis.
Vidas como a de Sansão,
De Moisés e de Josué,
Que nos falam ao coração
E nos incitam à fé.
Uma história tão bonita
É a do jovem Daniel,
De Ruth, a moabita
E do justo irmão Abel.
Também temos a história
Do puro e manso José,
Cujo exemplo, na memória,
Nos mantém sempre em pé.
Uma vida bem formada,
Sempre nela se advinha
De Dorcas, a bem-amada
E de Ester, a rainha.
Vidas assim consagradas
Para a Deus Pai servir.
Muitas mais nos são mostradas,
São exemplos a seguir.
Nesta Escola assim se aprende
A Jesus a gente amar,
Quem não vem se arrepende,
A Deus não vai agradar.
Esta Escola benfazeja,
De valor tão sem igual,
Vive aqui bem nesta Igreja,
É a Escola Dominical!
“Por favor, paizinho, vamos!”
..........................(Autor desconhecido)
- Poesia para ser dramatizada -
Personagens: narrador; pai jovem e criança;
pai mais idoso e filha jovem não-crente
Uma garotinha de olhos cintilantes,
Rostinho alegre, olhar resplandecente,
Assim falou: “Paizinho, vamos agora,
Lá de Jesus, o amor eles ensinam,
De como ele morreu por todos
Os que o buscam”.

Ah! Diz o pai: “Não... hoje, não,
Pois trabalhei toda a semana
Vou até ao rio pescar.

Lá eu repouso e posso descansar,
A pesca é agradável, todos afirmam.
Vá saindo! e não me aborreça,
Iremos à igreja outro dia!”

Meses e anos, afinal se foram
E o papai não mais ouviu o apelo:
“Vamos à Escola Dominical!”

...............................................
Os dias da Infância se passaram.
Agora que o pai envelhecera,
E que da vida o fim se aproxima,
Tempo ele encontra para à Igreja ir,
Porém a filha, ao seu convite, diz:

“Não... hoje, não, papai!
Fiquei insone quase toda a noite,
Recuperar eu devo, um pouco, o sono...
Demais o meu semblante assusta...”

Então, o pai para enxugar as lágrimas,
A trêmula mão levanta,
E relembrando os tempos que se foram,
Distintamente, parece ouvir a suplicante voz
E ver da criancinha o rosto resplandecente
Para si voltado, com cintilante olhar, a lhe dizer:

“Está na hora da Escola Dominical,
não queres ir, papai?”



APRESENTANDO MINHA ESCOLA
(jogral por uma criança, um jovem e um adulto)
.........................Rev Thiago Rodrigues Rocha
TODOS

Senhores: apresentamos
uma escola original.
É o nome que lhe damos:
Escola Dominical.

CRIANÇA


Eu gosto dela, vos digo,
pois me trata com atenção.
Lá, todo mundo é amigo
e aprende boa lição.

JOVEM


Eu encontro companheiros
e ensino pra minha idade.
São os mestres conselheiros,
que nos guiam à verdade.

ADULTO


Tenho também bom proveito
para a mente , o coração.
Lá aprendo o que é direito,
e conduz à boa ação.

CRIANÇA


Minha classe de criança,
adequada à minha mente,
tem lição conveniente,
por isso nunca me cansa.

JOVEM


Na classe da mocidade,
a mente não tem algemas.
Tenho toda a liberdade
de discutir meus problemas.
ADULTO

Na minha classe de adulto,
homem iletrado ou culto,
qualquer um tem permissão
de discutir a lição.

CRIANÇA


Vou nessa escola aprendendo,
com gosto, com alegria,
como poderei, crescendo,
ser um bom cristão, um dia.

JOVEM


Se todo moço cuidasse
de nessa escola querida
não faltar à sua classe
seria feliz na vida.

ADULTO


Se toda adulta pessoa
esta escola freqüentasse,
veria quanto ela é boa,
quanto fruto dela nasce!

TODOS


Amigos: apresentada
aos homens, à garotada,
a Escola Dominical,
vos dizemos afinal:

“Vinde todos aprender
ensinamento profundo.
Venham todos se inscrever
na maior escola do mundo!”
 --------------------------------------------------------





segunda-feira, 10 de setembro de 2012