quinta-feira, 20 de abril de 2017

Dicas para contar histórias




1 - Preparação do Evangelizador
ü  É importante escolher o enredo de acordo com o objetivo visado, sem misturar os assuntos, tendo um tema específico (se o objetivo é falar sobre oração, não inclua também algo sobre reencarnação, para que a criança entenda bem a idéia proposta);
ü  Quem conta uma história deve conhecer muito bem a narrativa (não decorar, mas saber bem a história); uma boa idéia é contar a história previamente para alguém, solicitando que a pessoa comente a narrativa, auxiliando a suprir erros e lacunas na história;
ü  Com a prática (e o prévio ensaio), é possível diminuir os gestos bruscos, os cacoetes com as mãos e os tiques (Né? Sabe? Então...), adquirindo movimentos tranqüilos e harmoniosos;
ü  O narrador deve passar segurança, por isso não deve iniciar se desculpando por não saber contar direito a história ou por não ter preparado a narrativa. Lembre-se que é possível adquirir a confiança em si mesmo através da prévia preparação e do ensaio da história (as primeiras histórias serão mais difíceis, exigirão um preparo maior, mas com o tempo e a prática as dificuldades tendem a diminuir);
ü   Seja autêntico ao contar a história: não tente fingir alegria ou tristeza, seja natural e sincero, vivenciando aquilo que está sendo narrado;
ü  Quanto mais praticar, melhores ficarão as narrativas. Importante aliar criatividade à humildade e à oração, pedindo auxílio (previamente) ao Espírito Protetor, a fim de que se possa sentir a ajuda do Mundo Espiritual no momento de executar a tarefa;
ü  A linguagem utilizada deve ser simples, correta e estar à altura do entendimento das crianças. Se precisar usar alguma palavra que as crianças possam não compreender o significado, substitua-a por um sinônimo mais fácil ou explique o que quer dizer;
ü  Ao escolher uma maneira para contar a história, é importante analisar o enredo e qual o seu objetivo. Um método bastante usado para integrar os ouvintes é a interrupção combinada, ou seja, o evangelizador deixa previamente acertado que quando falar uma frase específica, as crianças devem responder com uma palavra ou gesto especial (ou então, sempre que indicado pelo narrador, emitem um efeito sonoro de acordo com a história, como por exemplo, o som que faz o animal da história);
ü  Quando for utilizado material ilustrativo ou outro acessório, é essencial treinar a seqüência dos acontecimentos, ligando-os à apresentação das gravuras ou cartazes;
ü  Ao contar uma história, lembre-se que as expressões faciais e gestos são tão importantes como o tom e o som da voz. Aprender a exagerar emoções, desenvolver diferentes vozes e personalidades, contar histórias em "bumerangue", isto é, dialogar consigo mesmo, são recursos valiosos.

2 - Sobre a história
ü  As histórias podem ser reais ou imaginárias. Quando a história for verdadeira (os fatos aconteceram realmente) pode-se salientar o fato, a fim de despertar maior interesse das crianças;
ü  Certifique-se de que a história a ser narrada não é de conhecimento das crianças, evitando o desinteresse e as interrupções de quem já conhece a narrativa. Lembre-se, porém, que crianças com pouca idade gostam de ouvir/ver várias vezes a mesma história ou filme; já as crianças maiores que conhecem antecipadamente a história, se bem orientadas, podem contribuir com comentários, interrompendo apenas nos momentos convencionados.
ü  Uma história é feita de:
§     Introdução: chama a atenção para a narrativa, apresenta os personagens e o ambiente; deve ser curta, mas despertar o interesse dos ouvintes, transportando-os para dentro da história;
§     Enredo: são os acontecimentos crescentes durante a história, até chegar ao clímax;
§     Clímax: é o ápice, o ponto máximo da história; é o momento de suspense em que a criança espera com mais interesse o que vai acontecer a seguir; deve emocionar, sem assustar;
§     Conclusão: é o final da narrativa; deve ser curta e sem explicações acerca da moral da história, pois o ideal é que a criança entenda por si mesma o que se quis transmitir;
ü  A narrativa deve possuir algum drama ou suspense, uma situação que dirija ao clímax e ao final da história;
ü  Os interesses variam conforme a idade das crianças. Assim, no Jardim e Maternal devem ser usadas narrações simples e repetitivas, com ritmos e sons; também é interessante a utilização de crianças e animais como personagens; no 1º Ciclo, são importantes as histórias que incentivem a imaginação e o faz-de-conta, além de aventuras em ambientes conhecidos, como a escola, o bairro, a família; e no 2º e 3º Ciclos as crianças interessam-se por narrativas de aventura, explorações, viagens, invenções, crônicas e contos. Porém, deve-se evitar sempre ironias, sentimentalismos, tragédias e situações que amedrontem;
ü  Uma história bem contada torna fácil a compreensão da mensagem transmitida, ao mesmo tempo que  diverte, se estiver de acordo com o desenvolvimento emocional e intelectual dos ouvintes.

3 – No momento de contar a história
ü  Não inicie a história entrando direto na narrativa. É importante aguçar o interesse e a curiosidade dos ouvintes sobre a história. Isso pode ser feito através de conversações, gravuras, perguntas e outros recursos;
ü  É muito importante que as crianças estejam adequadamente acomodadas e fisicamente bem próximas ao evangelizador. A disposição em semicírculo ou em forma de cineminha são muito utilizadas e eficientes;
ü   Se der branco, continue. Não faça caretas, nem se desculpe. Continue descrevendo detalhes de cores e locais. Isso estimula a imaginação e ajuda a memória. Ou então faça uma pausa, olhando todos nos olhos, como para levantar suspense (não olhe para o chão). Use a criatividade e improvise!
ü  Se a história for lida, sua narrativa deve ser tão animada como se fosse contada espontaneamente.  É importante ler a história diretamente para as crianças, devagar, fazendo pausas e olhando os ouvintes nos olhos. Ao se preparar, o narrador deve ler a história diversas vezes, dramatizando a história, para não deixá-la monótona.

4     - Lembre-se:
ü  A primeira característica de um bom narrador é gostar de contar e ouvir histórias; ele deve sentir a história, emocionando-se com a própria narrativa;
ü  Contar histórias interessantes e educativas que as crianças possam lembrar mais tarde é uma arte que se aprende estudando e praticando;
ü  Uma boa história pode estimular os bons sentimentos, ajudar a desenvolver o intelecto, trazer reflexão e conhecimento, sugerir soluções para os problemas cotidianos e desenvolver virtudes;

ü  O Mestre Jesus ensinava através de histórias, as conhecidas Parábolas, que atravessaram os séculos, e continuam a educar, transmitindo seus ensinamentos de amor.
Fonte:tenho este faz muitos anos em meus guardados por isto não sei a fonte

terça-feira, 21 de março de 2017

Como Ensinar os pequeninos a orar

  •  Versículo: “Tudo que pedir em oração, crendo, receberá” Mt 21:22
 

 Como Ensinar os Pequeninos a Orar?

          Segundo o dicionário Aurélio, oração é: súplica religiosa, reza, prece, discurso, fala.
A oração é uma conversa com o Pai. Todos nós precisamos devemos orar, este é um hábito gostoso e indispensável que devemos ensinar às nossas crianças desde pequenos, pois é através da oração que as crianças são motivadas à:

1-    Reconhecer a presença de Deus
2-   Buscar a benção de Deus
3-   Orar em voz alta e sem inibições.

          No começo do período de oração, procure falar com as crianças sobre diferentes aspectos que envolvem a oração:
a)    O que é oração?
b)   Quem pode orar? (Mt.6:5-15)
c)    Quando orar? (I Tes. 5:17/ Ef.6:18)
d)   Por que orar?
e)   Por que fechamos os olhos quando oramos?
f)    Por que pedimos “em nome de Jesus”?(João 14:13 e 14)

2-   Leia um versículo que fale de oração ou um cântico próprio.

        Papai do céu... (inicia a oração)



Dedo Mínimo: Ora por mim
Dedo Anelar: Orar pelos doentes, pobres e mais fracos
Dedo Médio (o dedo mais alto): Orar pelosos que tem grandes responsabilidades e pode (presidente, governador,etc)
Dedo Indicador: Orar pelos responsáveis por nós (pastores, professores da escola e EBD, líderes de departamento)
Dedo Polegar: Orar pelos que estão mais perto de mim (minha família, meus amigos e meus vizinhos).

3-   Pergunte às crianças sobre as coisas pelas quais elas irão orar, fazendo lista de assuntos de louvor e petições que devem ser mencionados junto a Deus.

4-   Esteja atento para as  seguintes recomendações:
A)  O período de oração deve ser breve
B)   Use palavras simples e frases curtas
C)   Procure motivar a classe (com fotos, livro ou caixinha de oração e agradecimento).

Ajudando a criança a orar em público

1-    Escolha dentre as crianças salvas a mais desinibida e que fala melhor para orar para iniciarem o período, a fim de que as outras se seguem.
2-   Peça-lhes que orem por coisas definidas. Aproveite as situações e experiências que elas contam na classe e sugira que orem por aquilo.
3-   Em cada aula explique um aspecto da oração:
a) adoração (dizendo os atributos de Deus)
b) louvor (o que Ele fez e faz)
c) petição (Deus sabe, mas gosta de ouvir)
d) confissão (confessar nossos erros)
e) intercessão (orar pelas pessoas)

4)Quando o período de oração tiver como aspecto principal do dia da petição, explique-lhes sobre as possíveis respostas de oração. Lembre-se que as respostas da oração são como um sinal de trânsito.
         


Não Tiago 4:3 ESPERE Salmo 37:7 a SIM I João 5:14















Mantenha disciplina neste momento, mostre às crianças a necessidade da oração. Se você mostrar seriedade e destacar o fato de que Deus está presente as crianças reagirão ao clima emocional e espiritual do ambiente.
É através da oração que temos uma intimidade com Deus, seja você o condutor da vida espiritual dos pequeninos. No futuro, elas agradecerão.
           Você sabe o que pode acontecer com uma criança que ainda não sabe as respostas da oração á Deus?

APRENDEMOS :
1-O QUE É ORAÇÃO ?CONVERSAR COM DEUS...
2-ONDE ORAR?EM QUALQUER LUGAR...
3-PARA QUE ORAR?PARA CHEGAR PERTINHO DE DEUS
4-COMO ORAR?COM RESPEITO,DEDICAÇÃO...
5-QUANDO ORAR?SEM CESSAR,TODO MOMENTO....

6-PORQUE ORAR?QUANDO OREMOS DEUS NOS OUVE E RESPONDE NOSSAS ORAÇÕES









Fonte A lição recebi da amiga do Facebook Alê Matte e as figuras peguei na net

A HISTÓRIA DE ABRAÃO E ISAC















Fonte:recebi no face de Jean Santos Porto

quarta-feira, 8 de março de 2017

A História de um amigo: Maternal - Lição 11:


 Título da Lição:


 1) QUEBRANDO O GELO: 
Para iniciar qualquer atividade, é necessário que antes haja um quebra-gelo entre os participantes. Então, antes de iniciar as atividades, o mestre pedirá que os participantes abracem uns aos outros, inclusive os mestres e organizadores. Gera uma descontração e quebra o gelo totalmente.


 Leitura Bíblica: Lucas 10.25-37
Objetivo: Levar a criança a praticar o amor ao próximo, tratando as pessoas com bondade e ajudando quem precisa.
Frase do dia: Fazer o bem sem olhar a quem.
Para guardar no coração: "(...) Ama o seu próximo como você ama a você mesmo" (Lucas 10.27)



.






   Para guardar no coração:



   MAIS OPÇÃO Para guardar no coração:




  Lembrancinhas:




   MAIS OPÇÃO DE LEMBRANCINHA:
Resultado de imagem para opção de lembrancinha de coração para crianças     Resultado de imagem para coração lembrancinha






   Recursos Visuais:




 








  Mais Visuais do bom samaritano:














   Atividade em classe: Faça as aplicações praticas relacionando os fatos da lição a vida da criança. Mostre o que não é amor: - Brigar com os amiguinhos, não se importar com alguém que está sofrendo, não repartir o seu lanche , não emprestar seus brinquedos, etc....

   Depois distribua folhas de papel sulfite e peça as crianças para desenharem ou escreverem atitudes de ajuda ao próximo. No final peça as crianças para falarem quais atitudes de ajuda ao próximo escreveram ou desenharam, relacione na lousa ou cartolina e peça as crianças escolherem pelo menos uma atitude e praticar durante a semana.



  Outra atividade: Colocar vários objetos em uma caixa: colher, boneca, caneta, foto de família, urso de pelucia, caderno, cartão, figuras de: pessoas abraçando, sorrindo, almoçando em família, brincando, etc.....Cada criança tira um objeto ou gravura e fala como pode ajudar o próximo relacionando o tema ao objeto ou gravura.Exemplo: - Boneca - brincar ou cuidar do irmão menor. Caderno: Ajudar o amigo na lição da escola...



  ATIVIDADE:










  
Fonte: Escriba Digital; Escolhinha biblica da garotada.
Fonte: Revista da Cpad;
/blogtiale.blogspot.com/
Fonte das imagens: Título da Lição/ Para guardar no coração/Lembrancinhas: Blog Pequeninos de Jesus.
fonte:http://adaliahelena.blogspot.com.br