sábado, 1 de janeiro de 2011

Estrelinha e a Páscoa



Em uma Fazenda muito bonita, nasceu Estrelinha; uma ovelhinha branca com a lã bem fofinha; ela era bem pequena e passava muito tempo dormindo junto com a mamãe.  

Quando Estrelinha acordava, ela gostava de brincar com suas amiguinhas Floquinho e Pupi; elas brincavam de pega-pega, apostavam corrida e quando se cansavam, paravam para beber água limpinha .



Certo dia quando as três estavam brincando viram um bicho todo arrepiado, estava passando e quase atropelou a floquinho. Ui! Cuidado! Não vê onde anda?

_Oh! Desculpe-me, é que estou com tanta pressa! 
Se não tomar cuidado vai acabar atropelando algum bicho por ai! Disse Estrelinha. 
Desculpe-me de novo, mas é que tenho que apressar, pois a páscoa está chegando e eu preciso entregar muitos ovos por ai! Até breve! 
E assim o coelho saiu correndo! Ei espere seu coelho, o Sr. Não nos falou o que é a páscoa! 
Disse Pupi, Mas o coelho já ia longe. 

As três ovelhinhas ficaram muito curiosas e lá se foram para perguntar a Dn. Ovelha o que era aquilo “páscoa” e “ovos” quando perguntaram Dn. Ovelha respondeu:

-Bom eu ia mesmo falar-lhes sobre a páscoa, que é uma data muito especial. Sentem-se perto de mim para ouvir esta linda história.

 Há muito tempo atrás havia um rei mau que castigava o povo de Deus, ele obrigava o povo trabalhar como escravos. O povo de Deus eram os Israelitas e os q1ue serviam ao rei malvado eram os egípcios. Mas Deus amava o seu povo e decidiu liberta-los para que não fossem mais escravos. Então Ele castigou os egípcios, nove vezes, mas eles continuavam a maltratar os israelitas;


Foi ai que Deus mandou o último castigo, o décimo; foi um castigo terrível, Deus iria matar todos os filhos mais velhos de cada família!

-Oh! Que horror, falou estrelinha se encolhendo toda. E mamãe continuou: Só que Deus amava o seu povo, então deu uma ordem, cada família deveria matar um cordeiro e passar o sangue na porta de sua casa, assim ninguém da casa iria morrer. Os Israelitas obedeceram e nenhum dos seus filhinhos morreu. Eles foram libertos da morte! A partir daí, todo ano o povo de Deus sacrificava uma ovelha para ser liberto dos seus pecados.



Puxa mamãe! Então nós também vamos morrer? Seremos sacrificadas?

Não! Disse a mamãe sorrindo; isso não é mais necessário, pois Deus mandou seu filho Jesus que nasceu lá em Belém;

 Ele era um nenezinho bem pequeno, mas cresceu e um dia Ele foi crucificado.

Agora não é preciso sacrificar mais nenhuma ovelha, Jesus libertou todas as pessoas da morte. Quando Ele próprio morreu na cruz do calvário pagando o preço do pecado, aquele que tem Jesus no coração está livre do pecado.

“Jesus é cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”



Estrelinha começou a chorar e disse: Puxa, esta é a história mais triste que já ouvi! 
Porque minha filha? 
Porque Jesus está morto.
Não! Ele vive! Ele não ficou morto, ao terceiro dia Jesus ressuscitou para dar a cada pessoa, cada criança, uma vida nova!

Que maravilha! Então a páscoa é linda, é a libertação que Jesus nos deu quando morreu como ovelha e depois ressuscitou!
– Sim e cada criança pode tê-lo no coração e ganhar o presente que Ele nos oferece que é o céu.

Foi neste momento que todas as ovelhinhas estavam com lágrimas nos olhos de alegria, mas ouviram um chorinho, era o coelhinho que estava escondido e ouvia toda a verdadeira história da páscoa. Puxa! como estou envergonhado! 
Estou ensinando coisas erradas; a páscoa não é do coelho a dos ovos de chocolate, mas é de Jesus, o cordeiro de Deus que morreu e ressuscitou para tirar o pecado do mundo!

_Sim, disse Dona Ovelha, e devemos nos lembrar disso com coração cheio de gratidão e alegria porque Jesus é a verdadeira Páscoa para todos! 

Eu preciso contar isso para os meus amigos! Disse o coelhinho, se não, eles não vão saber sobre a páscoa de Jesus.

_Nós vamos ajudar você, disseram Estrelinha, Floquinho e Pupi. Então lá se foram eles correndo para contar a todos, a verdadeira história da páscoa que haviam aprendido.

Versículo João 1: 29 b
Fonte: www.tiaidalete.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário